segunda-feira, 8 de março de 2010

Reino Merina

No século 18, o Reino Merina tornou-se dominante na parte central da ilha de Madagascar e, com a ajuda do império britânico, controlou boa parte de Madagascar.

História




A ilha de Madagascar serviu de refúgio de piratas que chegaram a fundar uma república independente conhecida como Libertália, na baía de Diego Suaréz.
Paralelamente são formados vários reinos como o dos merinos, betsileus, sakalaves, malgaxes etc.
A república de Libertália liderada pelo corsário François Missou, no entanto, tem curta duração, sendo destruída pelos malgaxes.

O comércio de armas e escravos favoreceu a constituição de vastos reinos malgaxes.


Rei Andrianampoinimerina.

O Reino de Merina unificou a parte central da ilha de Madagascar, e no ano de 1625 funda sua capital em Antananarivo. O rei Andrianampoinimerina segue a política de unificação dos reinos vizinhos e após sua morte assume seu filho Radama I.

O Reino de Merina transformou-se no reino dominante. O filho daquele soberano, Radama I (1810-1828), conseguiu ajuda dos britânicos das ilhas Maurício e tomou sob seu controle grande parte de Madagascar.

Radama I, estabeleceu relações comerciais com os britânicos e permitiu que missionários ingleses entrassem no país e espalhassem o cristianismo pela ilha. No reinado de Radama, Madagascar viveu uma espécie de mini revolução industrial.


Rainha Ranavalona I.

Com a morte do rei, sua esposa, Ranavalona I, assumiu poder e aterrorizou a ilha de Madagascar durante 33 anos perseguindo cristãos, expulsando estrangeiros, executando rivais políticos e revivendo a tradição de sacrificar crianças nascidas em dias de má sorte. As relações com a Europa só foram reabertas depois da morte da rainha 1861, assumindo seu filho Radama II.

Radama II abriu o reino aos europeus e especialmente a uma companhia comercial francesa, a que deu tratamento privilegiado. Radama II decretou liberdade de culto na ilha e é assassinado dois anos depois. As rainhas Rasoaherina, Ranavalona II e Ranavalona III seguem a política de abertura ao assédio das potências européias.

Em 1868, o reino de Merina cedeu aos franceses o controle do litoral noroeste.

Em 1883 a França invadiu Madagascar e em 1896 seu controle sobre a ilha era total e Madagascar se tornou uma colônia francesa.

Em 1890, o Reino Unido reconheceu o protetorado francês de Madagascar: contudo, o domínio colonial não foi efetivo antes de 1895, ano em que a França conseguiu derrotar o exército do reino de Merina.

O ministro Rainilaiarivony (que esteve no cargo durante o governo das três rainhas) é em 1895 deportado para a Argélia. Durante seu governo é assinado um tratado com a França, onde os merinos aceitam o privilégio do comércio e garantem a posse de Fort Dauphin, Ilhas Reunião e Ilha Saint Maire por parte dos franceses.

O primeiro governador francês, general Joseph-Simon Gallieni, aboliu a escravatura e em 1897 desterrou a rainha Ranavalona III para a ilha de Reunião.

A França usava Madagascar como fonte de madeira e de produtos exóticos como a baunilha.

Depois da segunda guerra mundial, Madagascar tornou-se território ultramarino da França, com representação parlamentar na metrópole. Em 1958 adquiriu a autonomia dentro da Comunidade Francesa e dois anos depois proclamou-se independente com o nome de República Malgaxe. Durante a década de 1970, as relações com a França se deterioraram e houve distúrbios contra os imigrantes das ilhas Comores, que terminaram com um banho de sangue e com a expulsão dos sobreviventes.

Fontes: Wild Madagascar.org / Folha Uol / Wikipédia / Emdiv.com

6 comentários:

  1. E lamentável....como as Phistoria nao bate....Primeiro que teve tres rainhas ranavalona I ranavalona II ranavalona III. Detalhe Negras.....Como todas ex colonias hoje é um pais onde a população tem graves problemas sociais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que exatamente não bate? Existiram muitíssimas rainhas negras em África e mesmo fora dela.

      Excluir
  2. Eu sei que pessoas de Madagascar foram trazidas trazidas ao Brasil, queria saber se eles eram merina

    ResponderExcluir
  3. Tem coisa aí que não fazem sentido

    ResponderExcluir
  4. Tem coisa aí que não fazem sentido

    ResponderExcluir
  5. Ranavalona um satanás em pessoa que foi usada pelo próprio pra fazer suas maldades, Negra maldita dos infernos!

    ResponderExcluir